quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Posição para dormir

Tenho visto em alguns fóruns que participo muitas mulheres reclamando que não encontram posição pra dormir agora que a barriga está grande. Sim, minha barriga está enorme, como vocês podem ver abaixo.

Bom, acontece que, tirando o fato de eu ter que levantar pelo menos 2x à noite para fazer xixi, e estar pesada e com mobilidade reduzida (dá bastante trabalho virar de um lado pro outro na cama), eu tenho dormido muito bem.

A maioria das reclamações que vejo por aí é dor pelo peso da barriga e a falta de ar. Realmente, se eu deito de barriga pra cima ou de lado, sem apoio, tenho essa mesma sensação. O que tem me ajudado a me sentir mais confortável pra dormir é o travesseiro de corpo.
Eu já usava esse travesseiro antes de engravidar, para conseguir dormir de lado ao invés de dormir de bruços e agora ele tem me ajudado a apoiar a barriga, reduzindo essas dores e falta de ar... então deixo aqui a dica, pois tem me ajudado muito!!! O travesseiro que uso, comprei no Carrefour, e não paguei muito caro não...

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Curso preparatório para pais

Viu... nem demorei tanto assim para voltar!

Esse sábado passado fui fazer o curso preparatório para pais. É um curso que pode ser feito em qualquer momento da gestação, mas a maternidade recomenda que seja feito depois das 25 semanas, porque aí a ansiedade já começa a pegar e o curso ajuda a gente a se preparar para o que vem.

Antes de marcar o curso, conversei com o marido para saber o que ele achava, e ele super topou! Assim como eu, ele também é papai de primeira viagem e acha que a gente precisa se informar para não bater muito desespero quando o bebê chegar.

No e-mail dizia que o curso começava às 8:30, mas pelo jeito o e-mail estava errado, porque quando chegamos lá, já tinha começado. Mas tudo bem... pelo que vi, eles repetiram as mesmas informações que eu já tinha visto na visita à maternidade, então sem problemas.

Durante o curso aprendemos muitas coisas:

  • Desenvolvimento do bebê: Fase a fase, como o bebê cresce no útero, quais as modificações no corpo da mulher.
  • Sinais e sintomas do trabalho de parto: A enfermeira explicou como identificar que estamos entrando em trabalho de parto e em que momento ir para a maternidade (segundo ela, só precisa ir pra maternidade quando as contrações estiverem ritmadas e acontecendo 2 em cada 10 minutos).
  • Tipos de parto e de anestesias: Vimos vídeos de como são feitos o parto normal e a cesárea (mas sem ver os cortes, tá... nada de sangue para não assustar a gente). E também foi explicado como é feita a anestesia para a cesárea e a analgesia para o parto normal (sim, é possível ter parto normal sem dor). Uma coisa legal é que lá eles estão incentivando muito o parto normal!
  • Exames feitos no bebê: Uma pediatra plantonista do hospital explicou cada um dos exames feitos no bebê e qual a importância de cada um deles.
  • Cuidados no pós-parto: Ela explicou o que acontece depois do parto, sobre o sangramento que a gente tem, que tem que ser monitorado, sobre comer depois de parir, sobre tomar banho e as visitas que a gente recebe da equipe médica no quarto.
  • Banho, troca de fraldas, curativo do umbigo: Foi nos passado como será a rotina com o bebezinho, e aprendemos como trocar fraldas e dar banho, usando uma boneca que tem o mesmo tamanho e peso de um recém-nascido.
  • Amamentação: Mostraram os diferentes tipos de bicos e qual tipo de concha ideal para cada um, explicaram a necessidade de ter um sutiã de amamentação, e principalmente, as posições corretas para pegar o bebê para amamentar.
Bom... isso é um resumão do curso. Foram 8 horas de curso, então tem muito conteúdo além do que eu comentei, mas esses são os pontos principais. Se valeu a pena? Eu acho que valeu muito! Voltamos super cansado para casa, com tantas informações, mas acho que são informações que serão úteis para nós quando o Yuri vier.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Visita à maternidade

Vamos tirar um pouco o pó daqui?
Então gente, até tive novidades nesse meio tempo, mas a correria não permitia vir aqui postar. Nada relacionado a gravidez na verdade, a correria é no trabalho mesmo, já que tenho que deixar tudo bonitinho para poder sair de licença no começo do ano. Então estou aproveitando que deu uma aliviada pra vir aqui dar uma atualizada.

Semana passada fui fazer uma visita à maternidade onde pretendo ter o bebê. Mas antes de falar da visita, vou explicar um pouco como foi o processo de escolha do local.


Escolhendo a maternidade

O primeiro passo foi consultar no site do plano de saúde, quais maternidades são cobertas e ver o endereço de cada uma. Meu plano de saúde é pago pela empresa, não é um dos melhores, mas está longe de ser um dos piores, então vi que as principais maternidades da cidade estão cobertas. Então peguei a listinha das maternidades:

  • Beneficência Portuguesa
  • Santa Joana
  • Samaritano
  • São Luiz Itaim
  • São Luiz Anália Franco
  • Nipo Brasileiro
  • Pro Matre
O próximo passo foi verificar a localização de cada um desses, pois teria que ser o que fosse de mais fácil acesso tanto de casa quanto do trabalho (afinal de contas, vai que eu entro em trabalho de parto antes do tempo?).

Outra coisa que conferi foram indicações de pessoas que já tiveram seus partos nos hospitais listados, para saber como foi a experiência. Afinal de contas, nada melhor do que saber as coisas de quem já vivenciou as coisas.

Por fim, teria que ver em quais as maternidades a GO atende. Isso na verdade deveria ser uma das primeiras coisas a serem verificadas, mas como eu estava disposta a ter meu parto com a equipe de plantonistas do hospital, não foi tão decisivo para mim...

Então, por todos esses pontos, escolhi o São Luiz Itaim.


Conhecendo a maternidade

Através do site do hospital, peguei os contatos para agendar a visita à maternidade. A ideia é basicamente conhecer as instalações do hospital e quais serviços são oferecidos. Bem como entender como é a dinâmica da internação por lá.

A visita foi super rápida... coisa de 30 minutos... mas mesmo assim recebi várias informações interessantes. A começar com um check list de quais documentos preciso levar no dia. O ideal é já deixar uma pastinha preparada com todos os documentos para levar junto na maternidade e assim agilizar o processo de internação.

Outra coisa que eles passaram foi a lista de enxoval para levar. Explicaram também quais materiais eles fornecem (por exemplo, fraldas e material de higiene para o bebê) e quais a gente tem que levar (quantas mudas de roupas, quais materiais de higiene pessoal, etc).

Deram também dicas do que verificar com o plano de saúde e do que conferir nos estacionamentos próximos para não sair tão cara a estadia do carro da família.

Além disso, recebi alguns voucher de desconto para fazer o curso preparatório de pais, oferecido pelo hospital. Achei bem legal a ideia de fazer o curso, já que sou mamãe de primeira viagem, mas os detalhes desse curso deixo para um próximo post.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Estamos bem (eu e o bebê)

Ok, eu sei que abandonei o blog... mas é que tinha tantas coisas na cabeça ultimamente que precisava priorizar a minha vida offline. Nada de mais, só muito trabalho mesmo... Até porque, se algo de ruim tivesse acontecido, com certeza eu viria aqui para desabafar, né?

Então... com 16 semanas eu fiz um ultrassom para saber se vou ter um menino ou uma menina. Fiz esse ultrassom no dia 27 de agosto e... meu mundo será azul! O bebê colaborou no exame e pudemos ver que é um menino! Olha só ele chupando o dedo...


E para quem gosta de ver imagens do ultrassom, segue a prova de que é um menino mesmo. Eu continuo não entendendo nada de ultrassom... é muito doido, mas só sei o que o médico fala mesmo.


Aí agora que sabemos que é menino, todos perguntam... qual o nome? Ahá... por essa vocês não esperavam né? O baby já tem nome sim! Será Yuri.

Bom, demorei para escrever, mas pelo menos vim com notícias boas, né?

Ah... outra pergunta que costumam fazer... cadê a barriga? Tá por aqui sim... porque minhas roupas não me servem mais... mas não parece barriga de grávida não... só parece que estou (mais) gordinha mesmo. mas tudo bem... melhor assim que já estar com um barrigão a essa altura, né?

terça-feira, 26 de julho de 2016

Queda

Oi... sentiram minha falta? Estava sem novidades (o que é uma boa notícia). Pois bem... pelo título já dá pra ter uma ideia do que aconteceu né? Hoje pela manhã, ao chegar no escritório, escorreguei em uma poça de óleo e fui de cara pro chão.

Parecia um saco de batatas caindo... Na queda, acho que meu joelho acabou amortecendo um pouco o impacto e consegui segurar parte do peso com as mãos... o que não me impediu de me estatelar no chão do estacionamento.

Bom... recuperada da vergonha, cheguei de verdade no escritório e mandei um e-mail para minha médica explicando o que aconteceu e perguntei pra ela se precisava fazer alguma coisa. Eu não estava sentindo dores (com exceção do joelho e do pé... esses sim, estão doendo até agora), então tinha certeza que estava tudo bem com o bebê. Ela logo me respondeu, orientando a ir ao PS para ser melhor avaliada.

Então avisei a chefa sobre o que aconteceu e bora ir pro pronto socorro. Chegando lá, expliquei pra médica que me atendeu que eu não tinha dores nem sangramento, mas que minha GO achava melhor ver se estava tudo bem, então ela disse que nem ia fazer exame de toque, ia me mandar direto pro ultrassom, que é menos incômodo.

Aí vem a parte boa... pude ver meu bebê de novo! Fazia tempo que eu não o via... da última vez ele era só um feijãozinho... agora tem forma de bebê... consegui ver os bracinhos, as perninhas, a coluna... e escutei o coraçãozinho de novo!!! Ele (ou ela?) está grandinho, com 5,1 cm, e o coração está batendo a 160 BPM. Não tinha nenhum descolamento, então o bebê provavelmente só sentiu um chacoalhão com a queda... mais nada! Está tudo certo!

É isso... há males que vem pra bem... por causa de um acidente de trabalho (já devidamente reportado na empresa), consegui ver meu bebê mais uma vez... oba!!!

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Sexagem Fetal

Alguns de vocês devem saber que trabalho com TI, e por causa disso volta e meia estou viajando a trabalho. Boa parte dessas viagens são para fora do país, então por mais que eu não goste de ficar longe de casa, acabo aproveitando para comprar coisas no exterior que são bem mais baratas do que aqui no Brasil.

Pois bem... coisas de bebê são muito mais em conta lá fora, É só ver a quantidade de pessoas que dizem que compensa pagar uma passagem de avião e hospedagem só para fazer o enxoval do bebê. Aí esses dias estava em algumas reuniões e fiquei sabendo de um projeto cujos testes vão ser feitos em Agosto e em geral, é justamente nesses testes que eu acabo viajando... Bom... ainda não é certeza, mas já fiquei com a pulguinha atrás da orelha.

Bom... por que eu falei tudo isso? Porque se realmente for viajar, talvez valha a pena fazer um exame para saber se vou ter um menino ou uma menina. No próximo dia 30 de julho, vou fazer o ultrassom morfológico do primeiro trimestre, e talvez o médico já possa dar um palpite (mas a chance de acerto é de 80%).

Aí ficaria como alternativa fazer o exame de sexagem fetal. Ok, certeza certeza mesmo só no ultrassom do segundo trimestre, mas pelo menos dá mais certeza que o ultrassom do primeiro trimestre.

Pois bem... então lá fui eu pesquisar quanto custa fazer esse exame aqui em São Paulo. É impressionante a diferença de valores que se pode encontrar de um laboratório para o outro! Dá uma olhada!

Fleury  R$ 705,00
A+  R$ 552,00
Salomão Zoppi  R$ 580,00
Delboni Auriemo  R$ 440,00
Lavoisier F. Morato  R$ 396,00

Impressionante, não é? Sempre ouvi que esse exame era caro e tal, mas nunca ninguém havia comentado comigo o quão caro (ou não) seria. Por esses valores, mesmo o mais barato ainda acho caro... é só ver quantos pacotes de fralda dá para comprar com esse valor. Além disso, existe chance de erro também. Por exemplo, eu tive um aborto espontâneo um mês antes de engravidar... isso já pode comprometer o resultado do exame.

Então é isso... se eu realmente for viajar, provavelmente devo acabar fazendo o exame para confirmar (ou não) o palpite do ultrassom... mas se não fosse por isso, eu descartaria fazer esse exame, já que esse dinheiro poderia muito bem ser investido em outras coisas e num próximo ultrassom seria possível saber o sexo do bebê.

Minha ideia era compartilhar aqui com outras pessoas para que se tenha uma noção do quanto se gasta com esse tipo de exame.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Medicamentos

Olha, se tem uma coisa que eu não esperava é que estar grávida seria tão desconfortável. Eu não tenho enjoos como muitas meninas tem, mas não quer dizer que eu me sinta super disposta como normalmente sou. Muito pelo contrário, tenho me sentido bem mal ultimamente.

Quando digo que tenho me sentido mal, é que há alguns sintomas da gravidez que incomodam diariamente. No meu caso, com frequência tenho sentindo o estômago embrulhado (tipo aquela sensação de quando a gente está doente e não tem vontade de comer nada), e tenho tido bastante gases (o que me dá cólicas).

Na última consulta com a médica, ela me passou uma lista de medicamentos que eu poderia tomar para ajudar a melhorar os sintomas da gravidez. Então resolvi compartilhar aqui com vocês. Claro... cada médico tem um protocolo, então antes de se medicar, é importantíssimo consultar o médico.

 Sintoma  Medicamento  Posologia
 Dor  Paracetamol 750mg  1 comprimido de 6 em 6 horas
 Cólica  Buscopan Composto  1 comprimido de 6 em 6 horas
 Náusea / Vômito  Vonau Flash 4mg  1 comprimido de 8 em 8 horas
 Azia  Milanta  1 medida de 8 em 8 horas
 Gases  Luftal  1 comprimido de 6 em 6 horas

Não é uma lista tão grande assim, mas já cobre boa parte dos sintomas que normalmente uma mulher grávida tem. Por enquanto só precisei apelar para o luftal, e acho que isso é um bom sinal! Espero que essa lista ajude outras pessoas que estão tão felizes quanto eu de estarem passando mal assim...