quinta-feira, 12 de maio de 2016

Melancolia

Amanhã completa-se 1 semana que fiquei sabendo que a gravidez não evoluiu. Se estou bem? Sim, dentro do possível estou bem, mas ainda bate aquela tristeza de vez em quando. É estranho, pois tenho aquela sensação de luto por ter perdido alguém, mas nunca vi esse alguém, a única prova que esse alguém existiu é um exame de sangue.

No fim das contas, eu me sinto bastante sozinha nesse meu luto. Ok, o meu marido também está chateado, de certa forma inclusive preocupado comigo... ontem mesmo ele achou estranho que ainda estou sangrando, quase 1 semana depois de ter começado. Mas ainda assim, me sinto triste... não tem como esquecer, com esse sangue saindo o tempo todo e me lembrando do que aconteceu.

Ao mesmo tempo, me sinto culpada por estar triste... poxa... poderia ter sido muito pior se tivesse perdido com mais tempo de gestação, né? Tem tanta gente que passou por coisas piores do que eu, mas ainda assim eu estou triste... será que tenho esse direito?

Nas últimas semanas eu já estava pensando em opções de nomes para o bebê... tinha tudo guardadinho em um aplicativo. Deletei o aplicativo... agora não tenho motivos para escolher um nome... Em compensação resolvi dar um nome para meus miomas... já que sempre que faço exames, resolvem me lembrar que eu tenho eles, agora eles vão ter nomes... o maior (de 6cm) é o João, o outro (de 5cm) é o Pedro e o menor (de 2 cm) é a Maria... pronto... já tenho em quem por a culpa se precisar.

É isso gente... tô chateada, me culpando por estar chateada e sangrando há 1 semana :(

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Fim do Ciclo 1

Pelo título já dá pra ver que não tenho boas notícias, né? Mas a vida segue, então vamos ao relato dos últimos dias...

Quinta-feira (05/05) logo pela manhã, meu marido me ligou, e ele nunca me liga, então notícia boa não era. Um tio dele havia falecido e o enterro seria na sexta-feira. Como eu já tinha consulta médica marcada, combinamos que ele iria para o enterro do tio dele, e eu ficaria por aqui para cuidar da cachorrinha e ir à consulta. Teria que ir à consulta médica sozinha, mas faZ parte...

Então à noite fui à médica, e levei para ela o resultado do exame de beta HCG que eu havia feito dia 25/04. Comentei com ela que o resultado estava com uma valor baixinho e ela concordou que era baixo, mas que podia ser uma ovulação tardia (era minha teoria também), então para tirar as dúvidas, ela me pediu um novo beta e já deixou uma guia com pedido de ultrassom. Ela pediu só para eu aguardar o ok dela para fazer o ultra, pois dependendo do resultado, talvez fosse melhor esperar mais uns dias.

Então, cheia de esperanças, fiz o novo exame de sangue lá na clínica mesmo, e segui com a vida. Afinal de contas, a cachorrinha estava sozinha em casa, já que o marido foi viajar. Com essa correria toda, acabei pedindo para trabalhar de casa na sexta-feira, pois se o marido precisasse de alguma coisa, pelo menos eu estaria mais tranquila em casa.

Logo depois do almoço, acessei o site do laboratório para pegar o resultado do exame... e para minha decepção, tinha dado somente 146,9 mUI/mL, sendo que pelo tempo entre esse exame e o anterior, eu deveria estar com pelo menos 2000 mUI/mL. Foi um balde de água fria, pois isso significava que a gestação não havia progredido. Mandei então o resultado do exame para a médica, sabendo já o que significava e morrendo de medo.

Depois de umas duas horas, quando fui ao banheiro, vi que estava sangrando... era o sinal que tudo havia acabado. Eu realmente havia perdido o bebê. Aquele resultado baixo do exame de beta HCG era porque o percentual do hormônio já estava diminuindo há alguns dias, ou seja, eu já havia perdido o bebê e não tinha notado ainda. Foi aí que realmente caiu a ficha e comecei a chorar.

Me refiz um pouco do choro e, seguindo a sugestão das meninas, fui ao hospital para ver se estava tudo bem comigo. Chegando lá, fui atendida por médicos super atenciosos, que entenderam minha situação de fragilidade, e que me deram todo o appoio. Fui encaminhada para fazer um exame de ultrassom, onde foi constatado que realmente não havia mais nada no meu útero. A médica que fez o ultrassom conversou bastante comigo (geralmente esse pessoal que faz os exames não fala muito não, mas ela entendeu que eu precisava conversar um pouco), ela provurou bastante pelo embrião e realmente não achou.

O que ela comentou comigo foi que o meu endométrio estava muito fino, o que não era compatível com uma gestação... foi aí que entendi. Eu havia tomado anticoncepcional por muito tempo, e um dos efeitos do anticoncepcional é afinar o endométrio... o que está certíssimo, afinal de contas, se falhar a prevenção da ovulação, o embrião dificilmente conseguiria se implantar em um endométrio fino. Então estava explicado o beta HCG baixo e o aborto... eu estava com o endométrio muito fino e o embrião não conseguiu se implantar direito!

Claro que fiquei triste... não tem como não ficar, mass entendo que não era o momento certo mesmo... Graças a Deus eu não precisei passar por uma curetagem... a natureza foi sábia o suficiente para limpar meu corpo naturalmente. Então quando meu marido voltou do Paraná (o tio dele morava no Paraná e nós somos de São Paulo), conversei com ele e combinamos de esperar mais dois meses antes de retomar as tentativas, para que meu endométrio tenha tempo de se recuperar. Ele ficou triste, claro, mas foi super compreensivo e manteve as esperanças, dizendo que logo logo a gente consegue.

Então é assim que terminou meu ciclo 1. Teve momentos de felicidade, momentos de tristeza, mas a vida segue.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Novidades (ou a falta delas)

Faz um tempo que postei sobre o positivo, e depois nem voltei aqui para comentar mais nada, né? Pois bem... não voltei porque não tenho novidades mesmo. O positivo veio dia 23/04, e logo na segunda feira já liguei para o consultório da minha médica para marcar uma consulta. O problema é que ela só tinha horário disponível no dia 05/05...

A parte boa é que com um pouco mais de tempo de gestação, teoricamente, o ultrassom fica mais preciso, já que passa ser possível ver o embrião. Mas que é duro segurar a ansiedade, isso é, viu...

Enquanto não vou na médica, vou falar o que ando sentindo. Desde o começo do atraso menstrual eu tenho sentido cólicas... bem leves, mas constantes. De vez em quando dá uma pontadinha na barriga, mas como dói em lados alternados, não é preocupante.

Além disso, tenho sentido falta de apetite... quem disse que gravidez da fome? Toda vez que como, dá aquela sensação de estufamento, de estômago embrulhado, então simplesmente não tenho vontade de comer. Só como por obrigação mesmo...

E a novidade é que essa semana estou sentindo dor nos seios. Também é uma dor leve... se não encosto neles, não sinto nada... mas às vezes esbarro o braço na lateral deles, aí sinto doer um pouco. Também é uma dor bem parecida com a que costumo sentir quando estou para menstruar.

Acho que é isso por enquanto... quando for na médica provavelmente terei mais novidades.